top of page

A CALMING SPELL

 

Madressilva e Cardo,
Casca de Bétula e Lírio-do-Vale,
Jasmin e Acônito,
Flor de Alho e Alecrim.

***

UM FEITIÇO CALMANTE

Honeysuckle and Thistle,

Beech Bark and Lily-of-the-Valley,

Jasmine and Wolfsbane,

Garlic Flower and Rosemary.

A GOOD BONE

 

I rise when it's barely morning,
I like the stridulation when no one is listening.
And when it seems as the sky broke in two,
I shake the devil out of me. Start the day.

I no longer seek company,
I am fine with loneliness.
And granted I am sad beyond measure,
At the very least I feel something still.

And I am friends with tarantulas,
Though they don't think of me as such.
And though everyone seems to fear them,
I am content with what little may come.

Somewhere far beyond my reach,
He trails snow and twigs in the icy lands.
And when he sleeps in the open air,
I am the happiest woman here.

A fine man he is, seldom seen,
And I've learned not to trust them.
Frozen whiskers and wild eyes,
I refrain from writing about him.

So as to not awake
Some artifact of a nebulous dream,
The thing that would bring me shame and hurt,
My heart, dull as a stonefruit pit.

And though he hardly spares a thought
About wherever I may be,
I still wait for the green world
To bring me gifts from his hand.

But I still have a good bone in me, darling,
I still have some sweetness left.
And though I was marred by men of your ilk,
My elbows still bend to hold you.

And though the distance is inscrutable,
And there are no ships left to bear me hence,
I tell you this much, dear:
I love you, or I love no one.

***

UM OSSO BOM

Eu me levanto quando ainda mal é manhã,
Eu gosto da estridulação quando ninguém está ouvindo.
E quando parece que o céu quebrou em dois,
Eu sacudo o diabo de mim. Começo o dia.

Eu não busco mais companhia,
Eu estou bem com a solidão.
E de fato eu estou triste além da conta,
Pelo menos eu ainda sinto alguma coisa.

E eu sou amiga de tarântulas,
Embora elas não me vejam assim.
E embora todo mundo parece teme-las,
Eu me contento com o mínimo que possa vir.

Em algum lugar além do meu alcance,
Ele trilha neve e galhos nas terras geladas.
E quando ele dorme a céu aberto,
Eu sou a mulher mais feliz aqui.

Um bom homem ele é, raramente visto,
E eu aprendi a não confiar neles.
Bigode congelado e olhos selvagens,
Eu evito escrever sobre ele.

Para não acordar
Um artefato de um sonho nebuloso,
A coisa que me traria vergonha e dor,
Meu coração, bruto como a semente de um pêssego.

E embora ele raramente pense
Sobre onde eu possa estar,
Eu ainda espero o mundo verde
Me trazer presentes de sua mão.

Mas eu ainda tenho um osso bom em mim, meu bem,
Eu ainda tenho um resto de doçura.
E embora eu tenha sido mutilada por homens do seu tipo,
Meus cotovelos ainda se dobram para te abraçar.

E embora a distância seja inescrutável,
E não existam mais navios capazes de me levar até lá,
Eu te digo isso, meu caro:
Eu te amo, ou eu não amo ninguém.

HELL WILL FEEL LIKE HOME

 

I feel sorrow in a way I can't explain. I know no comfort when the land is cold and gray. Do you think she loved him? When he took her down to the undergrowth and fed her seeds of the pomegranate tree, the only thing that would grow there. When the world was suspended in grief, all things mewling, crying out for her to come once more to the sunlit fields, from the bowels of the earth.

When the land is barren I wait through the dreary months, when she'll crown my head with leaves and kiss my brow. To make my body fertile, reddened my face; fill my mouth with garlic. And I'll relearn to love with my garlic mouth, and flourish like a gowan field.

Hark: the dream will manifest, the sorrow subside, the fear assuage. Ere the Sun runs out of fuel and the heavenly bodies collide: it shall end. The sadness will release as a flexed muscle relaxes, holding you ever so gently in its fingertips.

And I have no other friend like him. He brought me to his vast cold land, like the chtonic king and his maiden of spring, eons ago. And when he is out to hunt his prey, I sit by the windowsill and wait. He made me follow him like a dog: captive of some unsettling desire.

And when he came, he raised me up, over his broad shoulder; I was helpless like a pup: trapped, conquered and tamed. He placed me upon his bed, unshod me: tore my gown with ability. And when his lips broke upon me, this much I whispered into his ear: "you will know the scorpion by its sting, ain't no other quite like me".

I shall gather all the flowers you grow from my body, and Hell will feel like home.

***

O INFERNO PARECERÁ UM LAR

Eu sinto uma tristeza que não posso explicar. Eu não tenho paz quando a terra está fria e cinza. Você acha que ela o amou? Quando ele a levou para o submundo, e a deu sementes da árvore de romã, a única coisa que crescia lá. Quando todo o mundo estava suspenso em luto, todas as coisas chorando, gritando para que ela voltasse mais uma vez para os campos ensolarados, das entranhas da terra.

Quando a terra está infértil eu espero através dos meses sombrios, quando ela irá coroar minha cabeça com folhas e beijar minha fronte. Tornar meu corpo fértil, enrubescido meu rosto; encher minha boca de alho. E eu reaprenderei a amar, com minha boca de alho, e a florescer como um campo de flores brancas.

Ouça: o sonho se manifestará, a tristeza diminuirá, o medo amenizará. Antes do Sol acabar com seu combustível e os corpos celestes se colidirem: acabará. A tristeza se soltará como um músculo flexionado relaxa, gentilmente te abraçando na ponta de seus dedos.

E eu não tenho nenhum outro amigo como ele. Ele me trouxe para sua vasta terra fria, como o rei ctônico e sua donzela da primavera, eras atrás. E quando ele sai para caçar sua presa, eu me sento ao peitoril da janela e aguardo. Ele me fez segui-lo como um cão: cativa de um desejo inquietante.

E quando ele veio, ele me ergueu sobre seus largos ombros; eu estava perdida como um filhote: aprisionada, conquistada e domada. Ele me colocou em sua cama, tirou meus sapatos: rasgou meu vestido com destreza. E quando seus lábios se quebraram sobre mim, isto eu sussurrei em seu ouvido: "você vai reconhecer o escorpião pela picada, não há ninguém como eu".

Eu juntarei todas as flores que você fez crescer do meu corpo, e o inferno parecerá um lar.

PENELOPE OBSCURA

 

O the arms that held me, many;
I cannot quite place yours.
Yet even in my carelessness,
I know them to be furnace-hot.

My head leaning on your shoulder,
Your steady arm fastened about me.
You called me "babygirl", late in my 20s,
Glossy lips and wide eyes.

Easy, tiger. You wouldn't want to get hurt.
I got you where I want you now.
And I know I can be so vicious and cruel,
Alas, your laden heart knows no cure.
(Won't use big words with you,
You will do just fine.
A spell of blood, clay and glue:
I called for you, you are mine.)

You looked so mean on your black bike,
Electric blue eyes and a heavy heart.
You have yourself a girl,
I am just a patch on your leather.

I didn't think I could get something out of life
As fine as you.
I no longer feel repulsive, tell me:
Do you want me or do you not?

Easy, tiger. Bunny's all ready for you.
Dolled up in black lace.
Turn on the wood stove, I'll put up a show,
We'll see how far we can go.
(Won't use big words with you,
You will do just fine.
A spell of blood, clay and glue:
I called for you, you are mine.)

His hands burned in between my thighs,
He couldn't know the pain I withstood,
When they sheared me down and stitched me up,
Opened like a fruit.
Looks frightfully nice, a dewy rose,
How do you like me now?
Yes, you'll find me fit and able
(And just a little too tight).

Honey, face it. I reek of death.
I just can't be trusted with you around.
I'm every father's cautionary tale,
Well, tell daddy I said hi.

(Won't use big words with you,
You will do just fine.
A spell of blood, clay and glue:
I called for you, you are mine.)

My heart lusts for the fire:
Pain, violence, ruin and death.

***

PENELOPE OBSCURA

Ó, os braços que me tiveram, muitos;
Eu não consigo te situar corretamente.
No entanto, mesmo em meu descuido,
Eu os reconheço quentes como uma fornalha.

Minha cabeça repousada em seu ombro,
Seu braço firme enlaçado ao meu redor.
Você me chamou de "garotinha", ao fim dos meus 20 anos,
Lábios brilhantes e olhos abertos.

Com calma, tigre. Você não gostaria de se machucar.
Eu te tenho bem onde eu quero agora.
E eu sei que eu posso ser tão imoral e cruel,
Que lástima, seu coração pesaroso não conhece cura.
(Não usarei palavras difíceis com você,
Você servirá bem.
Um feitiço de sangue, argila e cola:
Eu te chamei, você é meu.)

Você parecia tão mau com a sua moto negra,
Olhos azuis elétricos e um coração pesado.
Você tem uma mulher,
Eu sou só uma insígnia na sua jaqueta de couro.

Eu não achei que pudesse ter algo na vida
Bom como você.
Eu não me sinto mais repulsiva, me diga:
Você me quer ou não?

Com calma, tigre. Coelhinha está pronta para você.
Embonecada em renda preta.
Acenda o fogão a lenha, eu vou fazer um show,
Veremos o quão longe conseguimos ir.
(Não usarei palavras difíceis com você,
Você servirá bem.
Um feitiço de sangue, argila e cola:
Eu te chamei, você é meu.)

Suas mãos queimaram entre minhas coxas,
Ele não imaginaria a dor que eu suportei,
Quando eles me cortaram e me costuraram,
Aberta como uma fruta.
É assustadoramente bonita, uma rosa orvalhada,
O que acha de mim agora?
Sim, você verá que estou disposta e capaz
(E só um pouquinho apertada).

Meu amor, aceite. Eu tenho cheiro de morte.
Eu simplesmente não posso ser confiada perto de você.
Eu sou o alerta de todos os pais,
Bem, fale ao papai que eu disse oi.
(Não usarei palavras difíceis com você,
Você servirá bem.
Um feitiço de sangue, argila e cola:
Eu te chamei, você é meu.)

Meu coração cobiça o fogo:
Dor, violência, ruína e morte.

NECROPHILA AMERICANA

 

When the chaos died down
And my body found peace
I am stitching back together what's left
To make some sense


All I have now is my dog
And my dad's quite proud of me
I haven't seen my brother in years
My mother still resents me

And when it's December
My soul sister flies over
"Hey bitch, it's me"
And for the time being, it's enough

I've never been to church
That self-righteous bullshit
Never sits well with me
Fuck god and fuck you too
The easy way out
Was never in my cards
Now with spells and alchemy
I must transfigurate

The thing about me is that I don't care that much
I no longer love most of my friends, these days
I am diminished to a handful of small joys
Greek classes, playing dress-up
Decorating a lonely home
What's with all these tattoos now?

And when I think back
I mostly ruined everything
If I could only learn how to shut my mouth
Perhaps things could stay the same

It wasn't the thing between my legs
That prevented me from being loved
I'd be lovely to love
If I wasn't such a nasty one
The endless complaining
The darkness and the raining
The tender scars all over
That never truly healed

Eating away the corpses of myself
What's that beneath the shed skin?

***

NECROPHILA AMERICANA

Quando todo o caos morre
E meu corpo está finalmente em paz
Eu costuro tudo que sobrou
Tentando encontrar algum sentido

Tudo que eu tenho agora é o meu cachorro
E meu pai está bem orgulhoso de mim
Eu não vejo meu irmão há anos
Minha mãe ainda guarda rancor de mim

E quando é Dezembro
Minha irmã de alma voa para cá
"Ei vadia, sou eu"
E por ora, é o bastante

Eu nunca fui para a igreja
Eu não consigo lidar
Com este tipo de besteira hipócrita
Foda-se deus e foda-se você também
A saída fácil
Nunca esteve nas cartas para mim
Agora com feitiços e alquimia
Eu devo me transfigurar

A questão é que eu não me importo muito
Eu não amo mais a maioria dos meus amigos, hoje em dia
Eu estou diminuída em pequenas alegrias

Aulas de grego, brincando de se vestir
Decorando uma casa solitária
Qual é a das tatuagens agora?

E quando eu paro para pensar,
Eu essencialmente arruinei tudo
Se ao menos eu aprendesse a calar a boca
Talvez as coisas permanecessem as mesmas

Não era a coisa entre minhas pernas
Que me impediu de ser amada
Eu seria amável de se amar
Se eu aprendesse a calar a boca
Talvez eram as reclamações sem fim
A escuridão e o cinismo
As cicatrizes doloridas por toda parte
Que nunca realmente se curaram

Devorando os cadáveres de mim mesma
O que é isso aí por baixo da pele descascada?

IRATI

 

Loving you is the hardest thing I do
Nothing comes easy to me
As much as I fight for you
I must earn what I need, not what I want.

I recall a song: will I be loved
When I'm no longer young and beautiful like Lana?
Sometimes all I see from here, on a good day,
Is the end, as Joanna once said.

Tell me Stevie, does it all come down to him?
His face shines bright when lightning strikes.
Is this what the water gave me, Flo?
Would I have it any other way?

I've been putting everything in its place, as of late
My home, my dog, the bones of the dead around me
The furnace in between my legs
While waiting for company.

And at times I feel debased
Demoted to this wretched need
When all softly quiets down
And I've nothing to be bothered with, save him.

And he lives under the veil of a breath
Sweet, as Andrew singing "Take Me to Church"
Soft, as Amir whispering "Habibi"
And I know not how to be more patient.

And I don't want to end up like AVC
White as powder, a virgin queen
I want to end up like Vali, tattoos on my face
Surrounded by the savage beauty of nature.

Sometimes he is so lost I cannot see him
Entangled by his own device, trying to get by
And my heart, an open door
To a place he could rest awhile.

Yet sometimes in the midst of an anxious thought
Of what the future might bring
Loving him is easy as falling asleep
I am in so deep.

And with the pile of bones I've been burying deep
There was a small seed I couldn't have seen
And these are my golden years
When loving him is like a tree:

Growing patiently
Stretching upwards courageously
Reaching towards the warmth of his sun
At last being loved, as everyone.

***

IRATI

Amar você é a coisa mais difícil que eu faço
Nada vem fácil para mim
Por mais que eu lute por você
Eu devo ter o que eu preciso, não o que eu quero.

Eu me lembro de uma música: ele ainda me amaria
Quando eu não for mais jovem e bela como a Lana?
Às vezes tudo que eu vejo daqui, em um dia bom
É o fim, como a Joanna certa vez disse.


Me diga Stevie, tudo fica claro para ele?
Seu rosto brilha forte, quando o relâmpago cai.
É isto que a água me deu, Flo?
Eu aceitaria de qualquer outro jeito?

Eu tenho colocado tudo em ordem, ultimamente
Minha casa, meu cachorro, os ossos dos mortos ao meu redor
A fornalha entre as minhas pernas
Enquanto espero por companhia.

E às vezes eu me sinto diminuída
Rebaixada a esta necessidade miserável
Quando tudo se aquieta gentilmente
E eu não tenho mais nada com o que me importar, além dele.

E ele vive sob o frágil véu de um suspiro
Doce, como Andrew cantando "Take Me to Church"
Gentil, como Amir sussurrando "Habibi"
E eu não sei como ser mais paciente.


E eu não quero acabar como a AVC
Branca como pó, uma rainha virginal
Eu quero acabar como a Vali, tatuagens em meu rosto
Rodeada pela beleza selvagem da natureza.

Às vezes ele está tão perdido que eu não consigo o enxergar
Enredado por sua própria mão, tentando sobreviver
E meu coração, uma porta aberta
Para um lugar onde ele pode descansar por um tempo.

Ainda sim às vezes em meio a um pensamento ansioso
Do que o futuro pode trazer
Ama-lo é fácil como adormecer
Eu estou muito envolvida.

E com a pilha de ossos que eu tenho enterrado fundo
Havia uma pequena semente que eu não poderia ter visto
E estes são meus anos de ouro
Quando ama-lo é como uma árvore:

Crescendo pacientemente
Se esticando para cima corajosamente
Alcançando o calor de seu sol
Finalmente sendo amada, como todo mundo.

GOLD COAST

 

A pair of green, rubber boots
Grey bib-and-brace, faded leaves on my arms
Dogs on the bed of a '59 Chevy Apache
And your son's hand in mine

Humdrum little thing I am now
A bow-shot away from the aplomb and grace
Of my youth's sardonic pace
A steep descent into normality's embrace

I feel deep in my bones the will of Persephone
Who picked flowers with me in ages past
What happenstance finds me now
Painting the lips of another grandmother?
Another bound to the underground
Just another day's work
Just something I do well

In a sleepy, English-speaking town
A sign that says "funerals and burials",
All my life taking care of the dead
And barmy as it all sounds
I wouldn't trade it for gold

I am in some Canadian town; I am in Gold Coast
Whether be far up North or below the Southern vault
I pick him up from school; I walk the dogs
An old, tired Shiba Inu with a muzzle white as snow as I've never seen before

(I'll never be ready to see him go)

But I really fucked up things this time, haven't I?
And how far removed I am from your sweet, colourblind eyes
And I now write, lily-livered and frail
About a future I never seem to find


I have my familiar - it's fine
And all the birds I bury along the path
And all the friendships I broke apart
And all that is never allowed to unfold

When it comes to Aphrodite's arts, I am a dilettante
I seem to overwater everything
From Petty Harbour to Gold Coast
(From Ithaca to fair Troy buried in sand
From lands far beyond the dark-wine sea
To where aught save the breath of a dream takes me)
I scattered the seeds that never grow
Pining is easy, and pining is all I know

***

GOLD COAST

Um par de galochas verdes
Macacão cinza, folhas desbotadas em meus braços
Cães na carroceria de um Chevy Apache '59
E a mão do seu filho na minha

Coisinha à toa eu sou agora
Uma flechada de distância da serenidade e da graça
Do meu sardônico ritmo de juventude
Uma íngreme descida ao abraço da normalidade

Eu sinto no fundo dos meus ossos a vontade de Perséfone
Que colheu flores comigo em eras passadas
Que acontecimento agora me encontra
Pintando os lábios de outra avó?
Outra viajando em direção ao Submundo
Apenas mais um dia de trabalho
Apenas algo que eu faço bem

Em uma cidade quieta onde falam Inglês
Uma placa que diz "funerais e enterros"
A minha vida toda cuidando dos mortos
E louco como soa
Eu não trocaria por ouro

E estou em uma cidade Canadense; Eu estou em Gold Coast
Seja longe ao norte ou abaixo da abóbada do sul
Eu o pego na escola; eu passeio os cachorros
Um velho e cansado Shiba Inu com o focinho branco como a neve, que eu nunca tinha visto antes
(Eu nunca estarei pronta para ve-lo partir)

Mas eu arruinei tudo desta vez, não é mesmo?
E quão longe eu estou dos seus doces olhos daltônicos
E eu agora escrevo, fraca e frágil
Sobre um futuro que eu nunca encontro


Eu tenho meu familiar - está tudo bem
E todos os pássaros que eu enterro pelo caminho
E todas as amizades que eu rompi
E tudo que não pode crescer

Em se tratando das artes de Afrodite, eu sou uma amadora
Eu acabo afogando tudo
De Petty Harbor até Gold Coast
(De Ítaca até a bela Tróia enterrada na areia
De terras além do mar escuro como vinho
Para onde nada além do suspiro de um sonho me leva)
Eu espalho as sementes que nunca crescem
Ansiar é fácil, e ansiar é tudo que eu sei fazer

NEWFOUNDLAND

 

It was my doing, love,
It was my spell of the weather.
That you were such a simple man,
And I such a cunning hare.


I wrote about you,
Arousing some artifact of a nebulous dream.
My girly, shapeless heart,
All covered in icicles.

My body is fine, it's alright,
You could take me any day.
But I fear there is something else:
Some ossified, bitter taste.

Beneath your blue-eyed gaze
I felt so idiotic and small.
To pacify my hunger, crumbs,
Warm honey to quench my thirst.

And I'll make my way to Newfoundland,
Despite knowing nothing of the North.
Looking for what was never there,
Nothing but a thought.

And I'll meet my friend there,
Although I no longer think we are friends.
And the sky will look odd to me,
And my heart restless in his cold.
 
And when I lay me down to sleep,
I see an eidolon of you.
And it hurts like a hornet's sting
Every time I reach to touch your chest.

I remember everything, darling,
The thick moustache, the wool cap,
Down to the sound of your wild pup
Breaking ice sheets on the frozen lake.
Paris, your boots, a hungry wolf,
The first time I heard your voice,
The sweet breaking of my heart's strings
When you became a father in some happy home.

All my former lovers have now lovers of their own,
Everybody's moving on.
When I reach for, you are not there,
And Newfoundland is still an hour and a half ahead.

***

NEWFOUNDLAND

Foi obra minha, amor
Foi meu feitiço do tempo.
Que você era um homem tão simples,
E eu uma lebre tão astuta.


Eu escrevi sobre você,
Despertando um artefato de um sonho nebuloso.
Meu coração sem forma, de menina,
Todo coberto em gelo.

Meu corpo é bom, é decente,
Você poderia me ter qualquer dia.
Mas eu receio ter algo mais:
Um sabor amargo e ósseo.

Abaixo do seu olhar azulado
Eu me senti tão idiota e pequena.
Para apaziguar minha fome, migalhas,
Mel quente para saciar minha sede.

E eu vou para Newfoundland,
Mesmo não sabendo nada sobre o Norte.
Buscando o que nunca esteve lá,
Nada além de um pensamento.

E eu encontrarei meu amigo lá,
Embora eu ache que não sejamos mais amigos.
E o céu parecerá estranho para mim,
E meu coração, sem paz em seu frio.

E quando eu me deito para dormir,
Eu vejo seu fantasma.
E me doi como uma ferroada de vespa
Toda vez que eu tento tocar o seu peito.

Eu me lembro de tudo, meu bem,
O bigode cheio, a touca de lã,
Até do som do seu filhote selvagem
Quebrando as placas de gelo no lago congelado.
Paris, suas botas, um lobo faminto,
A primeira vez que ouvi sua voz,
O doce arrebentar das cordas do meu coração
Quando você se tornou pai em um lar feliz.

Todos os meus antigos amantes agora têm amantes próprios,
Todo mundo está indo para frente.
Quando eu busco, você não está lá,
E Newfoundland continua uma hora e meia na frente.

MANCHINEEL

 

And it must be awfully nice to indulge in the pleasures of your toil. Rusty, loaded Chevy truck, in and out of the log cabin, from morn 'til night. Vicious hunger, thirst of Aries men, streaming down the hills and felling all growing things in your path. And they grow, slender and fair, daughters of other daughters, that your dad equally marred, and taught you the same. Girls like trees, for your dire sport, logger son of a logger, and of a logger, and of a logger and another logger (and fisherman).

What a terrible fate to love you, when somewhere in the woods you swoop deadly at another daughter. I'd do anything to keep you tame, but we are water and sand. And I, who would never hurt a fly, take my bow and go out to and fro, to down you a brown, young doe. And to bring you my love, and some meat from a dove, and a doe, and a poor flayed rabbit, I would swallow my pride, bow my head fully yours.

Yet a poisonous tree, make no mistake, is poisonous all the same; and though I want your love, my darling, there is no love there for me. Come, as I see you, come as I dare you. Come with heavy caulk boots, axe in hand, hand in belt, and cold, blue, foreign eyes. Bite my sweet apple: try to strip me of my bark. Milk the girly sap: bring the best of your skills. I will lock your throat, blister your tongue, so that you may never tell me lies or call me filthy names, nor break my heart made of water cold. And from the cut wood my blood pours caustic and white, and the fumes of my burnt carcass are blinding and vile.

There is a tree lining the far-off coast, in broad silvery canopies. It bears little apples of death, as papa used to say. So treacherous its taste, so formidable its poison, it brings all valiant men to their knees. And I am likened to that tree by your brothers, warning you of the perilous affair. Your love is less like a knife to the belly, and more like a bone-deep fury: your laden heart knows no cure.

Leave me be. O leave me be. If you won't take me, leave me be.

***

MANCENILHEIRA

E deve ser muito bom se saciar com os prazeres do seu trabalho. Caminhonete Chevy enferrujada, dentro e fora da cabana, de manhã até à noite. Fome cruel, sede de homens de Áries, fluindo para as colinas e derrubando todas as coisas que crescem em seu caminho. E elas crescem, esbeltas e belas, filhas de outras filhas, que seu pai igualmente mutilou, e te ensinou a fazer o mesmo. Garotas como árvores, para o seu esporte terrível, madeireiro filho de um madeireiro, e de um madeireiro, e de um madeireiro e outro madeireiro (e pescador).

Que destino terrível te amar, quando em algum lugar da floresta você golpeia mortalmente outra filha. Eu faria qualquer coisa para te manter cativo, mas nós somos água e areia. E eu, que jamais machucaria uma mosca, tomo meu arco e vou cima abaixo, para te matar uma jovem corça marrom. E para te trazer meu amor, e carne de um pombo, e de uma corça, e de um pobre coelho esfolado, eu engoliria meu orgulho, abaixaria minha cabeça totalmente sua.

Porém, uma árvore venenosa, não se engane, é todavia venenosa; e embora eu queira seu amor, meu bem, não há amor aí para mim. Venha, como eu te vejo, venha como eu te desafio. Venha com pesadas botas de couro, machado à mão, e frios, forasteiros olhos azuis. Morda minha doce maçã: tente arrancar minha casca de árvore. Ordenhe minha seiva leitosa: venha com suas melhores habilidades. Eu vou trancar sua garganta, empolar sua língua, para que você nunca mais me conte mentiras ou me ofenda com nomes sujos, nem quebre meu coração feito de água fria. E da madeira cortada meu sangue se derrama, cáustico e branco, e a fumaça da minha carcaça queimada é cegante e cruel.

Há um tipo de árvore enfileirando a costa longínqua, em vastos dosséis prateados. Ela carrega pequenas maçãs da morte, como seu pai costumava dizer. Tão traiçoeiro é seu sabor, tão formidável seu veneno, ela coloca homens valentes de joelhos. E eu sou comparada a esta árvore pelos seus irmãos, te avisando do perigo. Seu amor é menos como uma facada na barriga, e mais como uma fúria até os ossos: seu coração pesado não conhece cura.

Deixe-me. Ó, me deixe. Se você não vai me tomar, me deixe.

WHERE ALL SEEMS BARREN AND COLD

 

I am eager to lie down with the insects,
Softly unmade upon the grassy knolls.
I had no company in my youth,
Cold knuckles now gently hold my bones.

How sweet it is to cuddle up
To nature's breast.
I had no one to hold me in my youth,
And now I am no longer young.

My loving friends nestled with me,
Beetles and blowflies,
All manner of soft-bodied worms,
All with quiet voices of their own.

I let all my boneflowers grow,
The wet earth is stringed like a harp
With the strands of my dull hair,
That was once long and full of light.

When I am left to the devices
Of the green world's hand,
I'll have my sweet baby's skull
Holding it fast in my rotting arms.

My long gone, blue-eyed baby girl,
Why the long face?
I lay me down here next to you,
In our moss bed.

Turn your face from the green world,
And look where all seems barren and cold.
Hades has his gates opened at last,
Persephone has you in tow.

***

ONDE TUDO PARECE ÁRIDO E FRIO

Eu anseio em me deitar com os insetos,
Docemente desfeita sobre os gramados das colinas.
Eu não tive companhia em minha juventude,
Frias articulações agora gentilmente seguram meus ossos.

Quão doce é se abraçar
Ao seio da natureza.
Eu não tive ninguém para me abraçar na juventude,
E agora eu não sou mais jovem.

Meus adoráveis amigos aninhados comigo,
Besouros e varejeiras,
Todo tipo de verme,
Todos com vozes quietas e próprias.

Eu deixo todas as minhas flores de ossos crescerem,
A terra está encordoada como uma harpa
Com os fios dos meus cabelos,
Que um dia foram longos e cheios de luz.

Quando eu for deixada á mercê
Das mãos do mundo verde,
Eu terei o crânio do meu doce bebê
Segurando firme em meus braços podres.

Minha morta menina de olhos azuis,
Por que a cara triste?
Eu me deito junto a você,
Em nossa cama de musgo.

Olhe para além do mundo verde,
E busque onde tudo parece árido e frio.
Hades abriu seus portões enfim,
Perséfone vem acompanhada de você.

bottom of page